Já pensou em transformar seu e-commerce em um clube de assinaturas?

atualizado em

Clube de assinaturas

O e-commerce nasceu com o objetivo de atender às necessidades e desejos do público, que é responsável pelo faturamento dos comércios varejistas. Acontece que este público está se reinventando para continuar atendendo as novas gerações, e como consequência, ganhar ainda mais espaço. Por isso, nesse post você vai como transformar seu e-commerce em um clube de assinaturas pode ser uma grande aposta.

1. Modelos de e-commerce

1.1. E-commerce tradicional

O e-commerce é um espaço de transações de compra e venda, que acontecem por meio de dispositivos eletrônicos. De início, os computadores eram os meios de compra mais utilizados pelos consumidores online. Hoje, os dispositivos móveis têm sido responsáveis por uma parcela significativa das vendas em lojas virtuais. Como grande parte das lojas físicas, o e-commerce tradicional disponibiliza uma infinidade de produtos. Assim, o cliente tem diferentes opções de compra. Ao escolher o que deseja, ele efetua o pagamento online via cartão ou boleto, recebe o produto em casa e avalia o processo de atendimento.

Como surgiu

As lojas virtuais começaram a ganhar espaço no mercado de vendas em meados de 1995 nos Estados Unidos, com o surgimento da Amazon.com e outras companhias. Cinco anos mais tarde começou a decolar no Brasil. O modelo deu tão certo, que gigantes do varejo resolveram apostar no negócio online, além das lojas físicas. Exemplos disso são: Pão de Açúcar, Magazine Luiza, Ponto Frio, Centauro e muitos outros.

Vantagens

Quando comparado aos clubes de assinatura, os benefícios do e-commerce são:

  • Decisão de compra: ela acontece com mais facilidade, pois o cliente não pensa muito antes da compra;
  • Variedade: tem a possibilidade de oferecer uma ampla diversificação de produtos e serviços e atrair mais pessoas;
  • Ferramentas: as soluções que atendem ao e-commerce tradicional são maiores, como: plataformas, especialistas no negócio e mercado.

1.2. Clube de assinatura

Assim como as lojas tradicionais, a comercialização dos clubes de assinaturas também acontece com a venda pela internet. Os meios de compra também são os mesmos: computadores, notebooks, tablets e smartphones. Mas o clube de assinatura no e-commerce tem como pilar a comercialização recorrente de produtos, sejam eles básicos ou exclusivos. Por esse motivo a oferta de produto é menor. Logo, torna-se menos abrangente no quesito alcance massivo. Ou seja, atinge um público de nicho.

Em um clube, o negócio deixa de ser focado em produto para focar na assinatura. O número de itens é bem menor em relação ao e-commerce tradicional, mas atinge o público exato. Nele, o cliente efetua a assinatura – que será debitada da conta dele todos os meses sem interferir no limite do cartão – e obtém a experiência de receber diferentes produtos todos os meses. Pode parecer um tanto quanto arriscado apostar em um único segmento ou categoria de produto, mas dá certo se você pensar nas necessidades do púbico que quer atingir.

Como surgiu

A entrega de leite na porta de casa, cujo recebimento acontecia no fim do mês quando as pessoas passavam na mercearia para pagar a conta, pode ter sido um dos primeiros sinais do surgimento dos clubes de assinaturas. Necessidade recorrente, entrega periódica e pagamento mensal, esse é o resumo desse tipo de e-commerce. No Brasil, entre 2000 e 2011 nasceram os primeiros e-commerces de assinatura: NetCartas, Namoro Online, Cueca em Casa e Sex Log.

Vantagens

Entre os benefícios dos clubes de assinatura em relação ao e-commerce tradicional podemos citar:

  • Modelo de negócio: Se o controle de saída e entrada de clientes for bem feito, fica mais fácil prever o faturamento em longo prazo, uma vez que este é recorrente, como a entrega do produto;
  • Campanhas: os esforços de marketing são otimizados, uma vez que os custos utilizados para conquistar um cliente no e-commerce tradicional são os mesmos usados para um assinante;
  • Produto: o processo de montagem do MVP (Minimum Viable Product) é mais fácil, você pode começar o negócio com apenas um produto, a depender do segmento.

2. Diferenças entre e-commerce e clubes

E-commerce Clube
Vende itens

O cliente escolhe o produto

A cobrança é única

Investe para atrair cliente

Faturamento é variável

Proporciona experiências

O cliente é surpreendido todo mês

A cobrança é recorrente

Investe para reter

Faturamento pode ser previsto

Em ambos existem pontos positivos e negativos. Antes de escolher em qual atuar, ou se vale migrar ou não de um e-commerce tradicional para um de assinaturas, é necessário saber quais são suas metas como empreendedor e ponderar o que é melhor.

Por outro lado, nada impede a análise para que ambos sejam trabalhados juntos na sua loja. Um exemplo em que isso funciona bem vem da rede varejista Pão de açúcar, que tem o e-commerce venda a venda e mantém também o Viva Vinhos, um clube de assinaturas. O importante é pensar nas possibilidades e estar aberto às mudanças que o seu consumidor dita, quer e escolhe.

Este conteúdo é oferecido por Vindi – solução para pagamentos online e cobrança recorrente.

Você também pode se interessar

,

15 ferramentas de marketing para otimizar o seu e-commerce

  • Marketing