6 dicas para fazer a gestão financeira do e-commerce de forma eficaz

atualizado em

Como em todos os segmentos do mercado, a gestão financeira de e-commerce é imprescindível para que qualquer loja virtual consiga atingir os seus objetivos e possa crescer de maneira sustentável.

Ao garantir um acompanhamento eficiente dos gastos e das receitas, os gestores podem ter uma visão mais realista a respeito da empresa, dos aspectos que a influenciam e sobre as decisões mais assertivas para sua saúde financeira.

Nesse cenário, praticamente todos os negócios eletrônicos precisam de um bom contador, para que haja um apoio sólido e especializado sobre as medidas e aspectos da gestão financeira que têm impacto direto sobre os negócios.

Segundo dados do relatório NeoTrust, o faturamento do e-commerce atingiu R$ 75,1 bilhões só em 2019 – 22,7% a mais que no ano anterior.

Esse rendimento surpreendente, aliado às tendências de crescimento do setor,  reforçam a ideia de que a gestão financeira de e-commerce é cada vez mais necessária em qualquer modelo de negócio eletrônico.

A seguir, confira 6 dicas para garantir um gerenciamento mais eficaz em sua loja virtual, veja quais as principais métricas do setor e as vantagens de gerir suas finanças com base em resultados!

Como garantir uma gestão financeira de e-commerce mais eficaz?

Como mencionamos anteriormente, uma boa gestão financeira de e-commerce depende de um acompanhamento preciso das entradas e saídas do negócio, bem como de gestores e contadores cientes sobre os detalhes que influenciam a saúde financeira da empresa.

Entre outros aspectos decisivos para que você garanta um gerenciamento monetário mais eficaz, destacamos:

1.   Faça um planejamento financeiro

Trata-se da primeira etapa de implementação de qualquer empresa. Crie um planejamento sobre o quanto você precisa investir e estabeleça os resultados esperados.

Tenha em mente que o planejamento financeiro não deve ser definitivo. Acompanhe as mudanças que ocorrerão ao longo da criação de seu e-commerce e o adapte de acordo com cada novo cenário.

2.   Acompanhe de perto seus custos

Mais que monitorar montantes brutos e líquidos, procure dados mais profundos para diagnosticar a saúde financeira de seu negócio.

Acompanhe como os recursos disponíveis são gastos e quais são os resultados obtidos através deles. Assim, você controla os custos de maneira mais precisa e ainda obtém insights para criar ações voltadas à economia ou otimização de recursos.

3.   Monitore a demanda e o estoque

Com um controle eficiente de estoque, seu negócio garante uma melhor previsão de vendas e receitas para determinado período de tempo.

Ao monitorar as mercadorias, você conseguirá suprir as demandas e controlar todas as despesas com mais segurança, sejam elas ligadas a armazenamento, mão de obra, logística, entre outras importantes para o orçamento da empresa.

4.   Separe as contas pessoais e da empresa

Misturar as contas da loja virtual com as pessoais é comum, principalmente em negócios menores e com gestores responsáveis por todas as despesas.

Porém, esse tipo de ação pode comprometer significativamente o acompanhamento financeiro do e-commerce e, consequentemente, o equilíbrio de suas finanças.

Por isso, o ideal é retirar o valor de pró-labore e não confundir os gastos pessoais com aqueles da empresa.

5.   Pague as contas sempre em dia

A inadimplência pode ter resultados catastróficos para qualquer negócio. Multas e juros aumentam os valores gastos e contas acumuladas se tornam muito mais difíceis de serem quitadas.

Com isso em mente, procure pagar tudo em dia. Até as contas pequenas devem ser respeitadas. Mesmo que sobre pouco ou nenhum dinheiro em caixa no final do mês, seu negócio não sofrerá com problemas maiores no futuro.

6.   Conte com um fundo de reserva

Uma reserva para emergências é indispensável justamente para evitar os problemas mencionados no item anterior.

Mesmo que o e-commerce esteja em seu início e não sobre muito dinheiro no final do mês, não abra mão de um fundo extra – ele pode ser decisivo para quitar dívidas e tirar sua empresa do vermelho em situações inesperadas!

Além disso, tenha em mente que a reserva utilizada precisa sempre ser resposta e que o uso desse dinheiro deve ser exceção.

Agora que você já sabe como melhorar sua gestão financeira de e-commerce, no próximo item, confira quais são as principais métricas que devem ser acompanhadas no setor.

Quais as principais métricas do setor?

Por mais que todas as dicas mencionadas no item anterior sejam de suma importância para uma melhor gestão financeira de e-commerce, elas não bastam sem um acompanhamento preciso sobre o desempenho do negócio perante o mercado.

Para averiguar se as ações adotadas são realmente eficientes e se os ganhos da sua loja virtual estão alinhados ao seu planejamento, algumas métricas são indispensáveis, como:

Retorno Sobre o Investimento (ROI)

Trata-se da relação entre o dinheiro ganho através de determinado investimento e o dinheiro investido no mesmo.

Sua fórmula é simples: ROI = (ganho obtido – investimento)/investimento.

Imagine, por exemplo, que você investiu R$ 2.000,00 em anúncios pagos para divulgar determinado produto. Se as vendas impulsionadas por esses anúncios gerarem um ganho de R$ 5.000,00, o ROI será de 1,5% (ou seja, o retorno sobre o investimento foi 1,5 vezes o valor aplicado).

Custo de Aquisição por Cliente (CAC)

O CAC ajuda a conferir se as estratégias de crescimento e ROI realmente estão fornecendo os resultados esperados.

O Custo de Aquisição por Cliente basicamente define o quanto o negócio gasta para transformar um lead em cliente.

Para calculá-lo, faça CAC = custo total para aquisição de clientes / total de novos clientes obtidos.

O ideal é que o CAC seja menor que LTV para que o negócio esteja saudável, conforme abordaremos no item seguinte.  

Life Time Value (LTV)

O LTV diz respeito ao valor que cada consumidor deixou no e-commerce durante todo o período em que ele consumiu seus produtos ou serviços.

LTV = valor médio de uma venda X média de tempo de retenção em meses ou anos para um cliente típico.

Como mencionamos anteriormente, o LTV deve ser analisado junto com o CAC – afinal, se o preço para conquistar novos clientes (CAC) for maior que o investimento dos mesmos em sua loja (LTV), é sinal de que o negócio está tendo prejuízos!

No item seguinte, saiba mais sobre a importância de uma gestão financeira de e-commerce baseada em resultados.

Por que a gestão financeira de e-commerce deve ser baseada em resultados?

Ao seguir os 6 cuidados que listamos acima e medir o desempenho de sua loja por meio das métricas mencionadas no item anterior, sua gestão financeira de e-commerce será realmente voltada a resultados!

O principal benefício desse tipo de gerenciamento é justamente garantir o equilíbrio necessário entre as despesas e as receitas, controlando todos os aspectos que os influenciam para gerar os resultados planejados.

Com processos bem definidos e um acompanhamento preciso, é possível ainda investir com mais assertividade em ações voltadas para o aumento de vendas, melhoria da produtividade e redução de custos – como soluções de automação, migração para plataformas melhores, novas estratégias de lançamento, entre muitas outras!

Que tal contar com uma plataforma que agrega estes e muitos outros recursos indispensáveis para a sua gestão financeira de e-commerce? Confira os recursos oferecidos pela JN2 e descubra como podemos contribuir para a saúde financeira do seu negócio!

Você também pode se interessar