Remarketing: tudo que você precisa saber sobre essa importante estratégia

atualizado em

Muito provavelmente, você já deve ter reparado em anúncios recorrentes em diferentes sites e até em redes sociais.

Você entra em uma loja virtual qualquer, abre os detalhes de um produto específico e pronto… o anúncio daquele produto fica te “seguindo” durante dias.

Ou então, você clica em um anúncio, não compra, mas ele também continua aparecendo em diferentes sites para você.

  • Se você for leigo no assunto, você pode pensar que isso é uma força divina querendo te mostrar que aquilo é realmente importante para sua vida, mas não é.
  • Você também pode pensar que são agentes do FBI infiltrados no seu computador, fuxicando a sua vida pessoal e te forçando a comprar algo, mas também não é.

Esses anúncios recorrentes são chamados de remarketing e são mais comuns e fáceis de serem feitos do que você pode imaginar!

Os anúncios realizados por campanhas de remarketing promovem o resgate de potenciais clientes que já interagiram de alguma forma com o seu site.

Muitas pessoas tendem a acreditar que os anúncios de remarketing são complicados de serem feitos e que é preciso ser um grande especialista em marketing digital.

Este post é justamente para desmistificar isso.

Como tudo que realizamos, o remarketing demanda sim estudo e muito planejamento, mas está longe de ser um bicho de 7 cabeças.

Hoje, você vai aprender tudo que você precisa saber sobre remarketing, desde às funções mais simples até às mais complexas, aprendendo, inclusive, a criar um anúncio de remarketing todo personalizado para um usuário que já visitou o seu site.

Que tal fazer um anúncio em um site qualquer com o nome do usuário e até as informações de produtos e serviços que ele visitou na sua loja virtual?

Demais, né!?!? Então, senta aí e leia com calma tudo.

Veja o que apresentaremos nesse post:

Fale com um consultor

Cenário

Remarketing3

Se você já tem um e-commerce, deve estar familiarizado com os conceitos de funil de vendas, jornada de compras e taxa de conversão, certo?

Por mais que você melhore a taxa de conversão, produza conteúdos específicos para os diferentes estágios de funil e tenha jornadas de compras eficientes, sempre haverá pessoas que entram no seu e-commerce e não compram.

  • Em média, a taxa de conversão das lojas virtuais do mercado brasileiro varia em torno de 2%. Ou seja, a cada 100 pessoas que entram no site, apenas duas realmente compram. Nos EUA, esse número é de cerca de 3%.

Então, é normal que as pessoas entrem na sua loja virtual e não efetuem a compra naquele momento. Mesmo que você trabalhe de diferentes formas para melhorar a taxa de conversão, isso vai continuar acontecendo.

O que deve ser feito é buscar meios para continuar presente para os clientes que entraram no seu site, demonstraram interesse pelos seus produtos, mas, por diferentes motivos, não compraram.

Afinal, ele pode ter realmente gostado do que você está oferecendo, mas pode estar sem dinheiro no momento, achar que ainda não é hora de fazer um investimento ou, simplesmente, ter deixado para lá e esquecido.

Hoje em dia, o seu site não concorre apenas com os seus concorrentes diretos. Ele também compete pela atenção dos usuários.

Enquanto a pessoa navega, ela pode estar com dezenas de abas abertas, ter conversas iniciadas em outros aplicativos ou até ter se distraído em um churrasco, por exemplo.

Afinal, os smarthphones e tablets estão cada vez mais presentes em nossas vidas. Nada mais natural que as pessoas passem a comprar também por eles.

Hoje, uma a cada oito vendas online são realizadas por esses dispositivos móveis, e a tendência é que esse número só aumente. Cada vez mais as pessoas vão comprar enquanto estão fazendo outras tarefas.

  • Cerca de 97% dos visitantes não convertem na primeira visita. Ou seja, não compram e nem deixam nenhum tipo de cadastro no site. A taxa de abandono de carrinhos no Brasil é de 43%, enquanto nos EUA é de 56%.

Portanto, o que o seu e-commerce deve fazer é preparar meios para trazer de volta o cliente.

Entenda definitivamente

Remarketing5

Antes de abordar as possibilidades específicas do remarketing, é necessário entender como ele realmente funciona.

No início deste post, brincamos com o fato de ter agentes do FBI fuxicando o que você faz e pesquisa em seu computador ou dispositivo móvel.

Por mais que seja uma brincadeira, muita gente acredita em parte nisso; não que tenha alguém do FBI interessado no que você está pesquisando, mas pessoas de grandes marcas e, principalmente, de grandes redes, como o Google e o Facebook.

Bem, essa é uma questão controversa. De fato, eles têm algum acesso ao que você está navegando, mas não por meio de uma pessoa real. Eles fazem isso através de robôs.

Calma, você ainda não está vivendo um filme de ficção científica.

Toda vez que você entra em um site, você deixa um rastro. Os sites inserem um arquivo que salva algumas preferências da sua navegação no seu navegador. Esses arquivos são chamados de Cookies.

Esses cookies funcionam a partir do momento que você entra em um site pela primeira vez até perderem a validade.

E são através desses Cookies que o remarketing trabalha principalmente.

Conceito:

O Google define o remarketing da seguinte maneira:

O remarketing é uma funcionalidade da publicidade baseada em interesses disponível no separador Públicos-alvo. O remarketing permite-lhe alcançar os visitantes do seu Web site e corresponder as pessoas certas à mensagem adequada. Pode apresentar estas mensagens aos utilizadores que navegam nos sites da Rede de Display da Google”.

É claro que o Google explicou o conceito citando apenas o seu próprio formato. Hoje, já é possível fazer o remarketing em redes sociais, como Facebook, Intagram e Twitter, e até pelo e-mail. Mas o conceito em si é bem claro.

Remarketing X Retargeting

Muita gente confunde os conceitos de remarketing e retargeting e acaba acreditando que são as mesmas coisas. Apesar de possuir semelhanças, existem grandes diferenças entre eles.

Para começar, o retargeting é uma das possibilidades oferecidas pelas estratégias de remarketing.

Como já explicamos anteriormente, o remarketing é feito para quem já acessou o seu site em um determinado momento.

O retargeting acontece quando vários anúncios são designados para uma mesma pessoa como uma estratégia contínua. Ou seja, ela visualiza um anúncio, não interage com ele, e em seguida vê um outro e depois outro, como se fosse uma continuação. A ideia é trabalhar várias vezes o mesmo potencial cliente.

Funcionamento:

Melhor do que eu explicar para você como instalar e iniciar o remarketing em sua loja virtual, é ver isso do próprio Google:

Remarketing no Google

A forma mais conhecida e praticada de realizar o remarketing é pelo Google, através do AdWords.

Quando falo Google, nesse caso, não estou referindo ao marketing de busca, realizado pelo trabalho de SEO e compra de palavras-chave. No caso, nós estamos trabalhando pela Rede de Display do Google.

Não sabe o que é Rede de Display? Calma, eu explico:

Hoje, o Google possui milhões de sites parceiros. Esses sites oferecem espaços gráficos de diversos formatos para o Google preenchê-los com seus anunciantes.

Basicamente, o Google é um intermediador desse processo. Ele irá unir empresas que querem anunciar com sites e blogs que querem anunciantes.

O Google recebe uma quantia pelos anunciantes através do AdWords e repassa uma parte a esses sites e blogs através do AdSense, que é o principal programa de afiliados do mundo.

  • Cerca de 90% dos websites brasileiros são afiliados ao Google AdSense.

Nesse caso, são anúncios de publicidade gráfica, que permitem textos, imagens, gráficos, GIFs e até vídeos.

Vamos lá:

Acesse a sua conta do AdWords. Clique em “biblioteca compartilhada” e depois em visualizar na opção “públicos-alvo: alcance pessoas que acessaram seu site, interagiram com seu aplicativo, assistiram ao seu vídeo e muito mais”.

Depois, clique em “+ lista de remarketing”, como mostra a imagem abaixo:

Remarketing6

Aí é só você configurar o remarketing da maneira que preferir e salvar.

Em seguida, crie um anúncio normalmente apenas para a rede de display. Quando chegar na aba “Escolha como segmentar os anúncios”, selecione “Interesses e remarketing”  e em “listas de remarketing”  escolha a opção que você aprendeu a configurar no parágrafo acima.

Caso ainda não tenha ficado claro como realizar essa campanha com segurança, aqui vai um vídeo do Google para explicar em dois minutos como realizar esse trabalho:

Rede de pesquisa

Recentemente, o Google também incorporou o remarketing à rede de pesquisa, seguindo o mesmo padrão desses anúncios. Ou seja, em formato de texto, com todas as características e limitações tradicionais.

A ideia aqui é aparecer na busca para pessoas que já visitaram o seu site.

Você pode, inclusive, aumentar o valor do CPC para palavras-chave existentes para usuários que estão nas suas listas de remarketing.

Remarketing no Facebook

Remarketing9

Não é apenas pelos sites afiliados ao AdSense que, hoje, trabalha-se o remarketing.

Uma das formas mais eficientes de realizar isso é pelo Facebook. Afinal, são quase dois bilhões de usuários ativos mensalmente no Facebook, sendo 100 milhões de brasileiros.

  • Em 2014, o Facebook também incorporou o remarketing como uma das possibilidades de anúncios. Primeiramente, para agências autorizadas. Depois, para todos anunciantes.

Estruturar as campanhas de remarketing pelo Facebook é ainda mais fácil do que pelo Google.

Os anúncios de remarketing estão disponíveis para o feed de notícias (desktop e dispositivos móveis) e nos espaços do lado direito do Facebook. Além disso, também está disponível pelo Instagram (falaremos disso mais adiante).

Para remarketing no Facebook, primeiro você deve criar um público personalizado.

Selecione o Gerenciador de Anúncios, clique no menu e em seguida em “públicos”. Na nova página, clique em “criar público” e depois em “público personalizado”.

Você verá que existem estas opções atualmente para serem trabalhadas:

Remarketing8

No caso, vamos aprender a criar um público personalizado. Assim que clicar nesse botão, você será direcionado a esta página:

remarketing29

É importante esclarecer que nem todas as opções do Facebook aparecem para todos os usuários. A rede social de Mark Zuckerberg libera as novas funcionalidades com o tempo para todos os seus usuários.

Portanto, não se assuste caso você esteja vendo telas diferente das que estamos apresentando.

Como estamos trabalhando com o remarketing, vamos escolher a opção “tráfego do site”.

Se você já tiver o código do Facebook (chamado de pixel) instalado na loja virtual, basta nomear o seu público, escolher o tempo máximo que a pessoa tenha visitado o seu site e selecionar “qualquer pessoa que visite o seu site”.

  • A maioria das campanhas de remarketing utiliza 30 dias como prazo para uma pessoa ter acessado um determinado site. Porém, você delimita isso de acordo com a estratégia que considerar mais eficiente.

Se você ainda não tiver o pixel instalado na loja virtual, basta criá-lo na página atual ou voltando no menu e selecionando “pixels”. Depois, é necessário inserir o código informado pelo Facebook no seu site.

Agora, basta você criar o anúncio propriamente dito. Faça o caminho normal e na hora de escolher o público na opção “Públicos Personalizados”, selecione o que você acabou de aprender aqui e a criar.

Pronto 🙂

Sua primeira campanha de remarketing no Facebook já estará praticamente pronta, faltando apenas definir a parte criativa e a distribuição dos anúncios.


Remarketing no Instagram

Remarketing10

Segundo o Instagram, o aplicativo já possui cerca de 200 mil anunciantes ativos, e cada vez mais as possibilidades de anúncios estão sendo incrementadas à rede social.

Recentemente, também se tornou possível realizar o remarketing pelo Instagram. Assim como todos os anúncios feitos atualmente nessa rede social, é necessário fazer o trabalho pelo gerenciador do Facebook.

Para fazer o remarketing pelo Instagram, basta repetir o processo que explicamos acima com o Facebook. A única diferença é selecionar o Instagram na hora de definir o posicionamento do anúncio, como mostra a imagem abaixo:

Remarketing10

Remarketing no Twitter

Com mais de 300 milhões de usuários, o Twitter é outra grande rede social consagrada no mundo inteiro que possibilita o remarketing.

Assim como no Facebook, o Twitter também oferece um sistema simples com base na criação de público personalizado.

Dentro do Twitter Ads, quando for criar uma nova campanha, selecione “adicionar públicos personalizados” na hora de delimitar o seu público. Em seguida, selecione “coletar visitantes do website” como mostra a imagem abaixo:

Remarketing-11

Você será redirecionado para a página de gerenciador de público, restando fazer as configurações finais e instalar o código do Twitter em seu site.

Pronto 🙂

Agora, basta criar os anúncios e selecionar o público que você acabou de criar.

Remarketing por e-mail

O e-mail marketing é uma das estratégias de marketing digital mais eficientes que existem. Desde que seja feita de maneira segmentada e com boas práticas, essa estratégia pode proporcionar a conquista e a manutenção de diversos clientes diariamente.

E o remarketing também pode ser realizado através do e-mail. Inclusive, é uma ótima dica.

Se você já tiver algumas estratégias de e-mail, você já deve estar praticando algumas ações de remarketing nesse canal mesmo sem saber.

Por exemplo:

  • Você envia e-mails para clientes que abandonam o carrinho de compras?
  • Você mantém contato com clientes que já realizaram compras em seu site, oferecendo produtos e ofertas?

Essas já são ações de remarketing (bem eficiente, diga-se) por e-mail!

Além dessas consagradas práticas, se você tiver como monitorar o usuário em seu site, é interessante enviar condições especiais de acordo com a navegação dele.

Remarketing dinâmico:

Como se não bastasse criar um anúncio com base na navegação do usuário, hoje já é possível criar anúncios com baseados em dados da conta do usuário no seu site.

Isto é, você pode criar um anúncio com o nome do cliente e até os preços dos produtos que ele visualizou. Ou seja, uma modalidade totalmente segmentada com mensagens personalizadas por cada usuário.

Essa modalidade é chamada de Remarketing Dinâmico, pois se adapta a cada usuário. Quanto mais específico, melhor.

O trabalho aqui não é tão simples. É necessário cadastrar listas dos seus produtos nas redes que você pretende realizar essa estratégia.

No Google, você deverá fazer a correspondência entre o seu feed de produtos com os anúncios dinâmicos.

Para isso, vá na biblioteca compartilhada novamente e clique em dados da empresa. Em seguida, em “+ lista”, selecione aquela que mais tem a ver com o seu segmento e mãos à obra. Veja as opções:

Remarketing12

Além do código de remarketing do Google instalado em seu site, é necessário também acrescentar a tag de remarketing dinâmico com parâmetros personalizados em todas as páginas. Essa tag será responsável pela captação dos dados dos seus produtos.

Agora, basta criar o anúncio propriamente dito.

Novamente, crie uma campanha de rede de display que possibilita o remarketing, abra o menu “Exibir configurações adicionais” e selecione o público que você criou em “Configurações de anúncios dinâmicos”, como mostra a imagem:

Remarketing13

 

Conclusão:

Tudo que apresentamos neste post era bem simples e prático, desmistificando muitas barreiras do remarketing.

Porém, a única parte que é realmente mais complicada é sobre os anúncios dinâmicos. 

Então, caso você não tenha entendido exatamente como deve ser feito esses anúncios de remarketing dinâmico, acalme-se.

Veja esse passo a passo que o Google preparou para você realizar os anúncios dinâmicos.

Acredito que não restarão mais dúvidas depois de ler esse artigo com calma.

Fale com um consultor

Você também pode se interessar