Como o e-commerce pode se adaptar durante a pandemia do coronavírus

atualizado em

como o e-commerce pode se adaptar durante o coronavírus

O novo coronavírus vem preocupando não apenas a saúde das pessoas, como também o mundo do trabalho, paralisando serviços, provocando demissões e colocando profissionais em férias ou home office. No e-commerce, também houve impacto, porém, em alguns casos o impacto foi bastante positivo, pois a internet ajuda diversos lojistas a vender mesmo na crise. E a sua empresa, está agindo? Se a resposta é não, confira este artigo em que explicamos como o e-commerce pode se adaptar durante a pandemia do coronavírus.

Enquanto as autoridades de saúde permanecem focadas no controle e erradicação da Covid-19, a área econômica está em segundo plano. Mas isso não é motivo para a sua empresa parar! Pelo contrário, o momento exige ainda mais aplicação e foco. Essa é a atitude das empresas que poderão sobreviver a mais uma crise. E você, certamente, quer liderar um processo vitorioso no fim disso tudo, não é mesmo?

Se você também quer diminuir os impactos negativos do novo coronavírus no e-commerce e descobrir como o seu negócio pode depender menos do mercado externo, siga a leitura!

 

Como o e-commerce pode se adaptar durante o coronavírus

O comportamento do consumidor diante da pandemia do novo coronavírus é diferente no caso do e-commerce. Isso acontece porque as pessoas estão mais tempo em casa, por orientação dos governos e por entender a necessidade do isolamento social. Com isso, quem usa a internet para vender ainda consegue conectar pessoas e produtos.

Embora os itens considerados supérfluos apresentem desaceleração, ainda assim, o meio online é a melhor opção para varejistas, especialmente para aqueles que estão conseguindo incluir novos produtos no catálogo para suprir as necessidades do cliente. 

Isso sem falar nas empresas que demonstram solidariedade e devem ganhar pontos positivos na visão do consumidor quando a crise passar. A Ambev, por exemplo, está usando suas instalações para fabricar álcool em gel, um produto amplamente procurado e escasso em diversas regiões brasileiras.

As ações de Marketing também podem reforçar um valor fundamental neste momento: empatia! O Mercado Livre trocou, temporariamente, o logo com pessoas se cumprimentando com as mãos por um cumprimento de cotovelos, uma adaptação ao atual momento.

E a sua empresa, como pode agir para enfrentar a pandemia com o menor impacto possível? É o que mostraremos a seguir!

Mantenha o fluxo do caixa positivo

Em tempos de crise, como nesta pandemia do novo coronavírus, a primeira área a sentir o tranco é o financeiro. A sua empresa também sofreu queda nas vendas e no faturamento? Tudo bem, o momento é delicado para todos, porém, a luz no fim do túnel está na maneira de agir daqui para sempre!

A primeira ação de como o e-commerce pode se adaptar durante a pandemia do coronavírus é checar se o fluxo de caixa da empresa aguenta superar a crise. Caso você não tenha essa informação, faça uma avaliação com o financeiro para descobrir a real situação. Se o caixa estiver positivo, será muito mais fácil encarar o atual momento.

Ao fazer essa análise, é possível saber por quanto tempo o negócio pode sobreviver com as vendas muito abaixo do volume natural. Enxergar o fluxo de caixa também ajudará os gestores a definir as medidas que podem mantê-lo positivo, como cortar despesas desnecessárias, identificar prioridades e controlar com mais rigor os custos operacionais.

 

Informe os clientes se houver mudanças na operação

Outra forma de como o e-commerce pode se adaptar durante a pandemia do coronavírus é tentar se aproximar ao máximo do cliente e, principalmente, informar qualquer mudança. Neste novo cenário, é praticamente impossível que a sua empresa não esteja passando por alguma adaptação.

Momentos como esse exigem transparência total com o cliente. Eles devem saber se haverá alguma mudança no prazo de entrega, limitações de compra e se algum produto está em falta no estoque.

Além disso, é importante passar dicas e orientações condizentes com o momento. Algumas empresas estão ensinando sobre a ideal esterilização dos produtos e, dessa forma, evitam que os clientes deixem de comprar por medo de infecção. Medidas como essa, além de proteger o cliente, mostram os cuidados da empresa com a saúde e a vida.

O desafio é pensar menos no agora e mais no depois. Ainda não sabemos quando o problema vai acabar, então, toda medida do presente deve ser tomada pensando no futuro! É lá que a sua empresa terá a chance de crescer. Agora, manter-se firme basta.

 

Aumente as opções de pagamento

Outra forma de como o e-commerce pode se adaptar durante a pandemia do coronavírus é tentar evitar, ao máximo, as transações com dinheiro em papel, pois as cédulas passam por diversas mãos e podem disseminar o vírus.

A saída é diversificar as opções de pagamento. Quanto mais, melhor! Entre as opções, você pode implementar a transferência de dinheiro por aplicativo ou aderir ao pagamento com cartões de crédito, débito e às transações online.

Caso o seu e-commerce não tenha variadas formas de pagamento, esse é o melhor momento para viabilizar tal mudança. Essa medida será útil não apenas agora, como no pós-crise. Aumentar as opções é trazer facilidade para o consumidor, o que vai impactar positivamente nas vendas.

Use descontos para gerar oportunidades

É fato que oferecer descontos, no atual momento, é reduzir ainda mais a margem de lucro. Mas a real necessidade, agora, é manter a roda girando. Por isso, todo sacrifício possível é bem-vindo em benefício das vendas.

Você pode ativar promoções de curta durabilidade e testar o poder de compra do público. Esse será um grande incentivo em uma fase em que a grana está curta para todo mundo. Outra possibilidade é estender o parcelamento e negociar taxas menores de antecipação com as adquirentes. Saia da caixa! Existem alternativas e você deve explorá-las ao máximo!

 

A importância de uma estratégia para diminuir o impactos das crises 

A crise do novo coronavírus não foi a primeira e, infelizmente, não será a última com capacidade para afetar o caixa das empresas de e-commerce. Portanto, aproveite o momento para criar uma estratégia de prevenção às situações de crise.

Além dos pontos que levantamos neste artigo, esse plano deve prever outros problemas com potencial para afetar as vendas, a produção e a comunicação com seu público! Sabe aquele ditado: melhor prevenir do que remediar? É disso que se trata.

 

E agora que você já sabe como o e-commerce pode se adaptar durante a pandemia do coronavírus, mãos a obra, pois há muito trabalho pela frente!

Você também pode se interessar